Estreia solo e toque português no 4º dia

O quarto dia de desfiles na São Paulo Fashion Week, coleção primavera-verão 2012, começou com a estreia solo da estilista Paula Raia, em um desfile realizado em sua casa. A coleção tinha looks com estilo da Raia de Goeye, grife que comandava com Fernanda de Goeye até 2010.

Flávia Guerra, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2011 | 00h00

O destaque foram os looks masculinos, com cardigãs e calças modelo cenoura. A sofisticação apareceu nos vestidos em tons de vinho. O cru -hit até agora desta SPFW - e o azul deram toque despojado a peças vazadas, de cortes assimétricos. A cintura, por vezes alta, em geral apareceu baixa e até marcada, contrastando com tecidos fluidos e transparências dos looks.

A Maria Bonita, segunda a desfilar, já na Bienal, também investiu em vazados, texturas e novos tecidos. Inspirada pela cultura portuguesa, a estilista Danielle Jensen evocou um Portugal nada óbvio. As peças-chave são os macacões soltinhos, que traziam uma sensualidade "por um fio" (de ouro, a propósito), regatas, vestidos e saias longas, além dos já clássicos blazers. A paleta de cores é clássica, com destaque para o cru, o branco, o azul claro, o amarelo e o vinho.

Penúltima a se apresentar, a estilista Priscilla Darolt se inspirou nos anos 1920 e no visual da cantora, dançarina e vedete do teatro de revista Josephine Baker (1906-1975). As transparências, macacões e saias abaixo do joelho apareceram com franjados laterais de fio de lurex, macramés e renda de algodão vazada. O tecidos receberam tingimento natural à base de carvão e ervas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.