Estimativa de prejuízo dos postos é de R$ 20 milhões

O Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de São Paulo (Sincopetro) estima em R$ 20 milhões o prejuízo causado pela falta de combustíveis entre segunda-feira e ontem na maioria dos 2 mil postos da Grande São Paulo. O presidente da entidade, José Alberto Paiva Gouveia, afirma que a grande parte dos postos de gasolina ficou aberta porque tinha desabastecimento apenas parcial - faltava etanol ou gasolina. "Os custos de operação continuaram, mas o pessoal não tinha produto para vender", afirmou.

O Estado de S.Paulo

09 Março 2012 | 03h03

Por causa da crise, a Fundação Procon chegou a abrir um canal exclusivo para receber denúncias contra donos de postos que aproveitaram a situação para aumentar os preços - alguns passaram a cobrar mais de R$ 4 por litro de gasolina. Pelo menos 40 denúncias chegaram a ser encaminhadas pelo próprio Sincopetro ao órgão.

Além dos casos apurados pelo Procon, o delegado Archimedes Cassão Veras Júnior, titular da 2º Delegacia de Investigações de Infrações contra o Consumidor, disse que indiciou 11 gerentes e proprietários de postos por crime contra a economia popular durante a paralisação. Todos os casos foram registrados anteontem e serão investigados. /B.R. e WILLIAM CARDOSO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.