Estátua foi presente da Venezuela a SP

Quem decifra a inscrição na pedra desgastada aos pés da estátua de Francisco de Miranda, na Avenida Paulista, região central de São Paulo, descobre que o monumento ao herói venezuelano é obra do escultor Lorenzo González (1877-1948). Influenciado pelo Realismo e pelo Romantismo, ele era conhecido pela expressividade que dava a seus retratados - caso de Miranda, com o manto ao vento, em pose de combate.

O Estado de S.Paulo

18 Março 2012 | 03h02

A estátua foi um presente do então presidente venezuelano Carlos Andrés Pérez, em visita ao País, em 1977. Durante um jantar para empresários paulistas no Jockey Club, ofereceu a figura de Miranda à capital: "Para perpetuar nossa admiração pela cidade", discursou, como registra edição do Estado de 19 de novembro daquele ano. Ocorre que o militar - precursor da independência na América espanhola - encarnava o discurso integrador de Pérez, em uma época em que o mundo era separado em blocos, com os Estados Unidos e a antiga União Soviética medindo forças. A doação simbolizava o desejo do país formar uma aliança econômica com o Brasil.

E, assim, no dia 16 de outubro do ano seguinte, com acompanhamento da banda da Polícia Militar, a obra de González era inaugurada na praça que hoje rende homenagem aos ciclistas. Na verdade, trata-se de uma réplica assinada por Carmelo Tabacco. A original está na França, em Valmy. / DENIZE GUEDES

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.