Estátua é depredada na Praça Marechal Deodoro

A copeira do monumento aos trabalhadores de limpeza teve a bandeja de bronze arrancada na região central de São Paulo

Mônica Reolom, O Estado de S. Paulo

04 Fevereiro 2014 | 22h14

O monumento aos trabalhadores da limpeza, instalado na Praça Marechal Deodoro, região central da capital, foi depredado na madrugada desta terça-feira, 4.

Uma das quatro estátuas de bronze que compõe o monumento, a copeira ficou de mãos abanando após a ação dos criminosos. Ela segurava uma bandeja que foi serrada das suas mãos. O custo para refazer o item, produzido pelo escultor Murilo Sá Toledo, é de aproximadamente R$ 4 mil, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Prestação de Serviços de Asseio e Conservação e Limpeza Urbana de São Paulo (Siemaco).

Segundo o Siemaco, que é responsável pela manutenção da praça, a depredação ocorreu no primeiro mês de mudança de contrato com a empresa de segurança que vigia o local. O número de seguranças diminuiu de dois para um em janeiro. A diretoria afirmou que vai avaliar um incremento à segurança.

O caso não foi registrado na Polícia Civil porque, segundo o Siemaco, a empresa de segurança se responsabilizou em arcar com a despesa.

O monumento foi inaugurado em 25 de janeiro de 2011 pelo então prefeito Gilberto Kassab e pelo governador Geraldo Alckmin. Ele homenageia os trabalhadores da limpeza ambiental e urbana de São Paulo. As peças em bronze representam o gari, a auxiliar de limpeza, o jardineiro e a copeira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.