Estátua da Mônica é achada em matagal em Guarulhos

Levada da Rua Oscar Freire na sexta-feira, 8, uma das peças comemorativas dos 50 anos da personagem em quadrinhos foi abandonada na cidade vizinha

Felipe Tau, O Estado de S. Paulo

14 Novembro 2013 | 10h32

SÃO PAULO - Uma escultura da personagem dos quadrinhos Mônica, furtada na sexta-feira, 8, da Rua Oscar Freire, na região central de São Paulo, foi encontrada na manhã desta quinta, 14, em uma rua deserta de Guarulhos, na Região Metropolitana. Estilizada pelo artista Lobo, a peça era uma das 50 espalhadas pela capital paulista em homenagem ao 50º aniversário de criação da dentuça, inventada pelo quadrinista Mauricio de Sousa.

A assessoria do desenhista e empresário confirmou que a obra encontrada era a mesma da mostra. Segundo a Polícia Civil, ela foi achada às 7h em um matagal, depois de uma denúncia anônima feita ao 190. Estava a 26 quilômetros de onde havia sido instalada inicialmente, no número 600 da Oscar Freire, nos Jardins. Colocada de madrugada, tinha desaparecido horas depois.

Apesar de alguns arranhões, a garotinha temperamental dos gibis estava inteira, com seu coelho a tiracolo, disse a delegada Vanessa Torres, plantonista do 1º DP de Guarulhos. "Vamos fazer uma perícia no local para ver se tem alguma evidência que possa levar à autoria", explicou. O caso tinha sido registrado no 78º DP (Jardins).

Vandalismo. O 'sequestro' da Mônica dos Jardins não foi o único crime cometido contra as esculturas da mostra. Pelo menos três obras foram vandalizadas - todas já restauradas, de acordo com a organização do evento. A estátua exposta na Praça Benedito Calixto, na região central, foi alvo de pichadores, e teve uma suástica pintada na testa. Na Avenida Paulista, duas das seis esculturas instaladas foram pichadas.

Exposição. As 50 Mônicas personalizadas por diferentes artistas, uma delas pelo próprio Mauricio de Sousa, foram distribuídas por 35 bairros de São Paulo. As esculturas são feitas de fibra de vidro e ficam sobre uma base de 25 centímetros. Nomes como Rui Amaral, Hiro Kawahara e Danilo Beyruth assinam as criações.

A exposição a céu aberto vai até 8 de dezembro. Depois, 20 serão leiloadas - com a renda revertida ao Fundo das Nações Unidas para Infância (Unicef). Outras 30 seguem em turnê, primeiro para o Rio, depois para Belo Horizonte. Os fãs podem acompanhar os bastidores do evento pelo site wwww.monicaparade.com.br.

Mais conteúdo sobre:
mônicaestátua

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.