'Estado' vai acompanhar presenças

A partir de 1.º de agosto, na volta dos parlamentares do recesso, a reportagem do Estado vai manter o acompanhamento das presenças durante as sessões ordinárias e extraordinárias da Câmara Municipal. Além de checar a assiduidade dos parlamentares e constatar se de fato eles estão no plenário, o objetivo da reportagem também será verificar quais propostas os 55 vereadores paulistanos vão discutir e apresentar às vésperas das eleições municipais, quando a campanha estiver liberada nas ruas.

O Estado de S.Paulo

02 Julho 2012 | 03h02

Vereadores ouvidos pelo Estado acreditam que poderá ocorrer um esvaziamento ainda maior do plenário, principalmente em setembro, a um mês das eleições.

"Depois do que vimos no primeiro semestre, acredito que poucos parlamentares vão se dedicar a debater novas propostas dentro do parlamento", afirma Carlos Apolinário (DEM).

Na última sessão do ano, na quinta-feira, Apolinário denunciou um acordo de líderes governistas para derrubar todas as sessões havia dois meses.

"Fiquei mais de um mês e meio inscrito para falar no pequeno expediente, e nunca conseguia por falta de quórum. Mas o estranho é que o painel sempre apontava um número grande de parlamentares na Casa", disparou o vereador.

Lideranças governistas admitem que a maior parte dos projetos de interesse do prefeito Gilberto Kassab (PSD) já foram aprovados no fim de 2011, como as autorizações para conceder R$ 400 milhões em isenções fiscais ao Corinthians e para construir um túnel de R$ 2,7 bilhões até a Rodovia dos Imigrantes.

O prefeito Gilberto Kassab conta hoje o apoio de 39 dos 55 vereadores da Câmara Municipal. / D.Z, A.F, J.F.D. e J.D.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.