EPITACIO PESSOA / ESTADAO
EPITACIO PESSOA / ESTADAO

Greve: Estado tem capital e 27 cidades em emergência por falta de combustível

As prefeituras de São Lourenço da Serra e Boituva declararam também estado de calamidade pública. Em Sorocaba, apesar do decreto, a cidade amanheceu sem transporte coletivo

José Maria Tomazella, O Estado de São Paulo

26 Maio 2018 | 13h38

SOROCABA - Além da capital, outras 27 cidades do Estado de São Paulo já decretaram estado de emergência em decorrência do desabastecimento causado pela greve dos caminhoneiros. As prefeituras de São Lourenço da Serra e Boituva declararam também estado de calamidade pública. Em Sorocaba, apesar do decreto, a cidade amanheceu sem transporte coletivo. As empresas de ônibus não conseguiram combustível para abastecer a frota. Campinas, em emergência, fechou os postos de saúde neste sábado.

+++ AO VIVO: Acompanhe a cobertura em tempo real da greve dos caminhoneiros

Em calamidade, Boituva não terá aulas nesta segunda-feira (27). Foram suspensas também as obras que precisam do apoio de máquinas. Em Jundiaí, a prefeitura decretou ponto facultativo para as repartições municipais nesta segunda. Os 35 postos de saúde e 111 escolas municipais estarão fechados.

Em Rio Claro, as aulas na rede municipal ficarão suspensas até a volta à normalidade. A prefeitura terá apenas meio expediente. O decreto de emergência, em São Roque, autoriza a requisição administrativa de combustível e bens. Em Nova Odessa, o objetivo foi garantir a coleta de lixo e transporte de pacientes.

Também estão em situação de emergência as cidades de Americana, Artur Nogueira, Botucatu, Capela do Alto, Capivari, Cerquilho, Cosmópolis, Diadema, Guaratinguetá, Guarulhos, Itapevi, Itatiba, Itu, Limeira, Mogi das Cruzes, Monte Mor, Paraguaçu Paulista, Santa Barbára d'Oeste e Vinhedo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.