Estado tem 4,1 mil terrenos contaminados; aumento de 12%

O número de áreas contaminadas em São Paulo cresceu 12% no ano passado. São 4.131 endereços inadequados, ante os 3.675 registrados em 2010. Do total, um terço - 1.329 pontos - está na capital. A boa notícia é que o número de terrenos reabilitados também cresceu: passou de 163 para 264, alta de 62%.

O Estado de S.Paulo

18 Abril 2012 | 03h00

Os postos de combustíveis lideram a lista, com 3.217 registros, ou 78%. Em seguida, estão indústrias, comércios e aterros irregulares. Para a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental (Cetesb), a alta é reflexo da fiscalização mais rigorosa. Em 2002, havia 225 áreas identificadas como contaminadas.

Entre as áreas críticas contaminadas no Estado que constam do relatório está a do Shopping Center Norte. Segundo o documento divulgado ontem pela Cetesb, o empreendimento avançou na adoção de medidas para reduzir o risco de explosão por gás metano - que está afastado após a instalação de drenos -, mas a área não está recuperada.

O caso Center Norte serviu, de acordo com a Cetesb, para mostrar a importância do cumprimento dos prazos para a remediação dos terrenos. "Desde 2007, os responsáveis têm cinco anos para finalizar os projetos de recuperação", diz o gerente do Departamento de Áreas Contaminadas do órgão, Elton Gloeden. /ADRIANA FERRAZ

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.