Estado quer mais 30 fiscais para a área de Energia

A Secretaria de Estado da Energia está pedindo à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) 30 novos fiscais para a área de energia em São Paulo. Atualmente, a Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado (Arsesp) atua com apenas 16.

Fábio Mazzitelli, O Estado de S.Paulo

02 de agosto de 2011 | 00h00

Hoje a fiscalização do setor de energia elétrica em São Paulo é dividida entre a Aneel e a Arsesp. A primeira tem a atribuição de fiscalizar empresas que atuam em todas as etapas do processo - geração, transmissão e distribuição de energia. À Arsesp cabe apenas fiscalizar as empresas distribuidoras, como é o caso da Eletropaulo, concessionária já multada pelo governo estadual duas vezes neste ano - com infrações que somam R$ 31,6 milhões.

Na semana passada, um dia antes do apagão causado pela falha do sensor na Subestação Milton Fornasaro, a Aneel havia prometido emprestar quatro fiscais terceirizados para reforçar a equipe de fiscalização da Arsesp. Também autorizou a contratação de sete funcionários para monitorar empresas de distribuição de eletricidade no Estado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.