Estado libera R$ 2 mi para ponte feita por Euclides

Tombada como patrimônio histórico em 1986, a estrutura está enferrujada e em processo de deterioração

William Cardoso - O Estado de S. Paulo,

17 Março 2012 | 03h00

SÃO PAULO - O governo estadual anunciará neste sábado, 17, a liberação de R$ 2 milhões para a Prefeitura de São José do Rio Pardo reformar a ponte construída por Euclides da Cunha há quase 111 anos. Tombada como patrimônio histórico em 1986, a estrutura está enferrujada e em processo de deterioração há pelos menos dez anos, como mostrou reportagem do Estado em 12 de fevereiro.

Uma ação promovida pelo Ministério Público Estadual, transitada em julgado, condenou prefeitura e governo estadual a encontrarem uma solução. O projeto de reforma apresentado pelo município ficou parado no Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat) por quase três anos, sem que houvesse uma resposta.

No dia 16 de fevereiro, depois de uma reunião com lideranças municipais, o secretário estadual da Cultura, Andrea Matarazzo, anunciou a liberação do projeto de reforma. "Foi aprovado sem ressalva alguma", diz o secretário de Obras do município, Marco Aurélio Feltran.

Segundo Feltran, as obras serão iniciadas até junho, caso o repasse para a prefeitura ocorra rapidamente e a licitação seja concluída em abril. Além da ferrugem, a principal preocupação está nos roletes, peças metálicas entre o corpo da ponte e suas bases de alvenaria. São eles que dão uma folga para que toda a estrutura dilate (o que acontece com o metal no calor) sem afetar os pilares. Com a deterioração, as peças ficaram ovaladas e passaram a transferir o esforço diretamente para as bases.

Responsável pelo movimento popular que exigiu a reforma da ponte e conseguiu, pela internet, juntar 420 assinaturas em uma petição pública, o professor Rafael Kocian diz que a mobilização serve como exemplo. "O que fica dessa história é justamente a mensagem de que é necessário a população participar da luta por aquilo que deseja.

Muitas vezes, os governantes não se mexem também porque a população não incomoda, não expõe os problemas."

Autor da ação civil pública que pedia a reforma da ponte, o promotor José Cláudio Zan diz que vai cobrar o cumprimento do projeto aprovado pelo Condephaat, assim que a obra for concluída.

O anúncio do repasse da verba será feito pelo governador Geraldo Alckmin durante a inauguração de uma Escola Técnica Estadual (Etec) em São José do Rio Pardo.

Histórico. A ponte é considerada a "obra irmã" de Os Sertões, porque foi retirada por Euclides das águas do Rio Pardo entre 1898 e 1901, período em que o escritor trabalhava como engenheiro do setor de fiscalização do Departamento de Obras Públicas de São Paulo e finalizava o seu livro sobre a Guerra de Canudos (1896-1897).

Euclides foi responsável pela reconstrução depois que uma falha no estudo geológico provocou a queda da ponte, 50 dias após a inauguração, em 1898, como mostrou o Estado na edição de 25 de janeiro daquele ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.