Estado faz convênio com instituto e SP capacita pessoal

A Secretaria de Saúde do Estado do Rio reconheceu estar revisando os dados de 2009 e 2010 e admitiu que seu próximo passo será ir até 2006, 2007 e 2008. Em nota, a subsecretária de Vigilância em Saúde, Hellen Miyamoto, informou que a secretaria assinou, há dois meses, convênio com o Instituto de Segurança Pública, "justamente para esclarecer a causa dessas mortes".

Wilson Tosta, O Estado de S.Paulo

07 de junho de 2011 | 00h00

O Ministério da Saúde informou, por nota, que aparentemente o problema se concentra na Secretaria Municipal de Saúde do Rio, que não teria atualizado informações. A secretaria municipal reconheceu que há atraso no processo de revisão das mortes.

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo afirmou que, para reduzir as notificações de mortes por causas externas indeterminadas, faz treinamento contínuo e já capacitou cem profissionais neste ano. Já Minas informou que está respondendo à "demanda do ministério".

Na Bahia, a justificativa foi de que alguns médicos-legistas evitam registrar, nas Declarações de Óbito, as circunstâncias das mortes, sob a alegação de que isso é de caráter policial. Rio Grande do Norte e Roraima não responderam os questionamentos da reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.