Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Estado diz que faltam equipes para Eletropaulo

Gestão Alckmin critica concessionária por falha na semana passada; Arsesp fará auditoria e MP investiga ‘eventual abuso’ em cortes

André Magnabosco e Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

21 Janeiro 2015 | 12h58

Atualizado às 20h57

SÃO PAULO - A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) fez duras críticas à AES Eletropaulo, afirmando que a concessionária não tem equipes suficientes para atender emergências. O governo também reprovou um relatório da empresa com um balanço das ações emergenciais feitas entre os dias 9 e 18 de janeiro, levado à Secretaria de Estado de Energia.
“Esse documento não foi adequado. Os nossos especialistas entenderam que todos os pontos estavam insuficientemente informados”, afirmou o secretário de Energia, João Carlos Meirelles, durante entrevista nesta quarta-feira, 21, após avaliar o texto com técnicos. Meirelles foi ainda mais duro. “Eu estou decepcionado porque, uma empresa do porte da Eletropaulo, com tradição, tem competência e capacidade técnica para nos dar uma resposta muito mais objetiva e contundente”, disse. 
Entre os últimos dias de dezembro e a metade deste mês, cerca de 800 mil moradores da capital e da Grande São Paulo ficaram sem energia elétrica, após as fortes chuvas que atingiram as cidades atendidas pela concessionária. Muitos moradores chegaram a ficar dias sem luz, o que motivou a secretaria a solicitar explicações para a empresa. “É preciso que haja um número de equipes técnicas suficiente para atender. Eles se socorreram de equipes de outras distribuidoras.” 

A gestão Geraldo Alckmin (PSDB) fez duras críticas à AES Eletropaulo, afirmando que a concessionária não tem equipes suficientes para atender emergências. O governo também reprovou um relatório da empresa com um balanço das ações emergenciais feitas entre os dias 9 e 18 de janeiro, levado à Secretaria de Estado de Energia.
“Esse documento não foi adequado. Os nossos especialistas entenderam que todos os pontos estavam insuficientemente informados”, afirmou o secretário de Energia, João Carlos Meirelles, durante entrevista ontem, após avaliar o texto com técnicos. Meirelles foi ainda mais duro. “Eu estou decepcionado porque, uma empresa do porte da Eletropaulo, com tradição, tem competência e capacidade técnica para nos dar uma resposta muito mais objetiva e contundente”, disse. 
Entre os últimos dias de dezembro e a metade deste mês, cerca de 800 mil moradores da capital e da Grande São Paulo ficaram sem energia elétrica, após as fortes chuvas que atingiram as cidades atendidas pela concessionária. Muitos moradores chegaram a ficar dias sem luz, o que motivou a secretaria a solicitar explicações para a empresa. “É preciso que haja um número de equipes técnicas suficiente para atender. Eles se socorreram de equipes de outras distribuidoras.”

Mais conteúdo sobre:
Energia elétrica Eletropaulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.