Estado descarta ligação entre Congonhas e metrô até a Copa

Monotrilho entre a Linha 1-Azul e aeroporto não vai ficar pronto até 2014, segundo Alckmin; CPTM, no entanto, terá conexão

O Estado de S.Paulo

14 de fevereiro de 2012 | 03h05

A ligação do Aeroporto de Congonhas, na zona sul de São Paulo, com as linhas do Metrô até a Copa do Mundo foi definitivamente descartada ontem pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB). O monotrilho que faria a conexão do aeroporto com a Linha 1-Azul do Metrô não ficará pronto até o início dos jogos, em 2014. O aeroporto só será conectado à rede da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Apesar de ter recursos financeiros e já ter até assinado contratos para começar a obra, o monotrilho do aeroporto ao Morumbi (que será batizado de Linha 17-Ouro do Metrô) ainda não obteve a licença ambiental - documento que permite a instalação dos canteiros de obras. Esse atraso na emissão do papel se deve a uma discussão nos tribunais sobre qual entidade deve emitir a licença: Estado ou Prefeitura.

Por causa do atraso, que já dura quase um ano, a proposta original, de ligar o aeroporto ao Metrô para a Copa, teve de ser alterada pela ligação do aeroporto com a CPTM. A Linha 9-Esmeralda, onde haverá a conexão, já enfrenta superlotação desde a inauguração da Linha 4-Amarela, no ano passado. E a situação, segundo o governo do Estado, só deve melhorar quando outra linha, a 5-Lilás, estiver pronta, em 2016.

Linha 2-Verde. As informações foram repassadas durante evento do governo do Estado para marcar o começo da segunda etapa das obras de outro monotrilho, o da Linha 2-Verde, que vai ligar a Estação Vila Prudente do Metrô à Cidade Tiradentes, ambas na zona leste.

A previsão é de que a primeira fase das obras esteja concluída no ano que vem. O consórcio encarregado da obra estima que a fabricação dos primeiros trens para a linha comece até abril. Os trens, da empresa canadense Bombardier, serão montados em Hortolândia, no interior paulista. / B.R. E RODRIGO BURGARELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.