Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Com 43,5ºC em Lins, Estado de São Paulo atinge maior temperatura da história

Máxima desta quarta-feira na cidade do interior paulista é a maior desde 1933. Onda de calor afeta o Centro-Oeste e o Sudeste do Brasil desde a semana passada. Capital registrou mais de 37ºC

Ludimila Honorato, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2020 | 19h53

A cidade de Lins, no interior paulista, registrou nesta quarta-feira, 7, a maior temperatura máxima do Estado de São Paulo nos últimos 87 anos, com a marcação de 43,5ºC por volta das 15h. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), essa também é o maior registro do município desde o início da sua série histórica, em 2006.

O recorde anterior do Estado era 43ºC em Iguape, no dia 3 de fevereiro de 1933. Outros marcos de estações também foram superados nesta quarta-feira, o que fez o ranking da história climática das temperaturas ser atualizado.

Veja as temperaturas mais altas no Estado de São Paulo

  1. 43,5°C  de Lins em 07/10/2020
  2. 43,0°C  de Iguape em 03/02/1933
  3. 42,9°C de Barretos em 07/10/2020
  4. 42,8°C  de Registro em 02/10/2020
  5. 42,6°C de Ibitinga em 07/10/2020
  6.  42,4°C  de Dracena em 06/10/2020
  7. 42,2°C  de Catanduva em 05/10/2020
  8. 42,1°C de Iguape em 16/01/1956, Catanduva e Votuporanga em 03/10/2020 
  9. 42,0°C de Jales em 07/10/2020
  10. 41,9°C  de Lins em 30/09/2020  e 06/10/2020 e Dracena em 03/10/2020

Na capital paulista, a temperatura máxima desta quarta-feira foi de 37,3°C, o terceiro maior registro de toda a série histórica, iniciada em 1943. As outras duas maiores temperaturas foram 37,4°C em 2 de outubro de 2010 e 37,8°C em 17 de outubro 2014. No último sábado, sete cidades do interior de São Paulo registraram recorde de calor.

Segundo o Inmet, a causa dessa onda quente que abrange diferentes regiões do Brasil é um persistente bloqueio atmosférico que se instalou na área central do País. "Os movimentos subsidentes do ar, de cima para baixo em níveis médios até a superfície, provocaram tempo quente com máximas acima dos 40°C e baixa umidade, valores inferiores a 15%, principalmente do centro para o norte do Estado de SP e o nordeste do MS", diz a instituição.

Porém, o órgão afirma que, aos poucos, "o aumento da umidade em níveis médios (próximo a 5 km de altitude) favorece que o ar comece a romper o tampão atmosférico", o que vai favorecer pancadas de chuva em algumas áreas.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo [estado]Lins [SP]calor

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.