Isabela Palhares/Estadão
Isabela Palhares/Estadão

Estações da Linha 1- Azul do Metrô de SP são reabertas e funcionamento está normalizado

No dia em que o Metrô completa 50 anos, falta de energia provocou o fechamento de todas as estações; problema ainda trouxe reflexo para passageiros que estavam em outras linhas

Renata Okumura, Isabela Palhares e Juliana Diógenes, O Estado de S.Paulo

24 Abril 2018 | 09h56
Atualizado 24 Abril 2018 | 15h45

SÃO PAULO - Depois de informar o fechamento de todas as 23 estações da Linha 1-Azul na manhã desta terça-feira, 24, por causa de falta de energia e medidas de segurança, a Companhia do Metropolitano de São Paulo (Metrô) informou por volta das 10h20 que as estações começaram a ser reabertas. O problema ocorreu no dia em que o Metrô completa 50 anos. À tarde, o Metrô funcionava normalmente.

O Metrô ainda aguarda o resultado final do laudo técnico sobre as causas para a falta de energia. Duas possibilidades  foram estudadas: falha na alimentação elétrica e pane por acionamento indevido.

Em nota no início da tarde desta terça-feira, a companhia adiantou que atuações indevidas e não autorizadas de equipamentos de emergência das estações provocaram a desenergização da Linha 1- Azul. "Em consequência, a circulação de trens da Linha 1 ficou paralisada entre 8h50 e 10h17. Os reflexos dessa ação deliberada também foram sentidos nas Linhas 2 e 3, que operaram com velocidade reduzida durante o período da ocorrência", ressaltou a nota.

Segundo o Metrô, inicialmente, quando a Linha 1-Azul apresentou pane, a primeira hipótese foi de falha na alimentação elétrica. Mas como vários trechos registraram falhas, em outras linhas, a possibilidade de que um usuário tenha acionado botões de emergência passou a ser considerada. 

Passageiros enfrentaram transtornos para embarcar nas estações mesmo após a reabertura. Pouco antes das 9 horas, uma falta de energia atingiu o trajeto entre as estações da Luz e da Vila Mariana. 

A declaração de ocorrências referente à falha na Linha 1- Azul, que paralisou a circulação entre 8h47 e 10h17, está disponível neste link.  

Os funcionários informaram aos usuários que a linha estava paralisada por falta de energia. Do lado de fora, algumas estações, como a São Joaquim e a Vergueiro, tinham filas de passageiros que tentavam pegar ônibus ou táxi. Na Rua Vergueiro, a paralisação do metrô provocou bastante trânsito.

Marina de Araújo Menezes, de 59 anos, estava dentro do trem por volta das 9h quando ele parou e os passageiros tiveram que deixar os vagões e seguir pelos trilhos até a estação mais próxima. "Evacuaram o trem e tivemos que andar por uns cinco minutos até a São Joaquim", diz. Ela saiu do Jabaquara e seguiria até a estação das Clínicas, na Linha Verde.

"Perdi minha consulta médica por causa desse atraso. Estou há 20 minutos tentando pegar um táxi, mas eles estão todos lotados", diz Marina.

Ainda segundo a assessoria de imprensa, as Linhas Verde e Vermelha também funcionaram com velocidade reduzida, por causa do problema na Linha 1- Azul. Os trens ficaram mais tempo nas plataformas e fizeram paradas mesmo fora das estações. 

O Plano de Atendimento entre Empresas de Transporte em Situação de Emergência (Paese) foi acionado, mas a companhia orientou os passageiros a buscar rotas alternativas. 

+++ “É impressionante a falta de respeito em vagão preferencial do Metrô”, critica passageiro

Linha 15- Prata. O Metrô também informa que a Operação Assistida na linha foi cancelada nesta terça-feira. As estações São Lucas, Camilo Haddad, Vila Tolstói e Vila União estão fechadas. Equipes de manutenção da companhia e da fornecedora atuam para consertar o equipamento de via com falha. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.