Estacionamentos dão lugar a prédios com 'studios'

Outra mudança no centro da capital é o lançamento de edifícios de alto padrão em terrenos onde antes funcionavam estacionamentos ou simplesmente estavam ociosos. Esse fenômeno é consequência do aquecimento do mercado imobiliário na região central. Segundo dados da Empresa Brasileira de Estudos Imobiliários (Embraesp), o número de apartamentos lançados no centro aumentou 54% em um ano, ritmo quase quadro vezes maior do que no restante da cidade (14%).

O Estado de S.Paulo

17 Novembro 2011 | 03h03

No total, foram 1.267 novos apartamentos lançados entre janeiro e agosto deste ano. Vários deles ocuparam terrenos ociosos na região mais bem servida de infraestrutura da cidade. Um exemplo é o Edifício Setin Downtown, que será erguido na Avenida Brigadeiro Luís Antonio, próximo da Câmara. O lote de quase 2 mil metros quadrados ficou anos ocupado por um estacionamento, mas vai dar lugar a uma torre de 24 andares.

O público desses lançamentos é formado por solteiros ou jovens casais sem filhos, das classes A e B. Todos os apartamentos são no estilo "studio", sem divisões internas. "Nosso diferencial é a localização exclusiva", gaba-se a coordenadora de vendas, Hind Taha.

O preço desses lançamentos está cada vez mais salgado, como no Brasil, prédio projetado por Waldomiro Zarzur erguido sobre um antigo estacionamento, que funcionou na Rua Santo Antonio por décadas. Nos "studios" de 35 metros quadrados que estão à venda, o preço do m2 chega a R$ 10 mil - valor comparável ao dos Jardins. /R.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.