Robson Fernandjes/AE
Robson Fernandjes/AE

Estação Pinheiros abre hoje. Sem integração, banheiro e sinal de celular

Com projeto que prioriza tecnologia e em um local marcado pela maior tragédia do Metrô - cratera em 2007 matou ali sete pessoas -, a Estação Pinheiros da Linha 4-Amarela começa a operar às 10h de hoje. Mas sem itens que facilitariam a vida do usuário. Como a integração com a Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), o terminal de ônibus anexo, banheiros públicos, sinal de celular e wireless (internet sem fio).

Cristiane Bomfim, O Estado de S.Paulo

16 de maio de 2011 | 00h00

A estação, cuja plataforma fica 33 metros abaixo do nível da rua, o equivalente a um prédio de dez andares, funcionará de segunda a sexta-feira, das 4h40 às 15h. Usuários que quiserem transferência para a CPTM terão de pagar mais R$ 2,90 - a promessa de "integração improvisada" feita em abril pelo secretário de Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, foi inviabilizada pela ViaQuatro, concessionária responsável pela operação da linha.

O "improviso" daria aos passageiros do Metrô tíquete para embarcar de graça na CPTM - e vice versa - até construção da passarela que permitirá integrar os sistemas. A transferência gratuita só deve começar em 30 de junho.

O gestor de atendimento da ViaQuatro, José Luiz Bastos, diz que usuários terão opção de descer na Estação Cidade Universitária da CPTM e usar a Ponte Orca, que faz transporte de ônibus até a Estação Vila Madalena da Linha 2-Verde do Metrô.

Já a integração com o Terminal Intermodal Pinheiros, projetado pela Prefeitura, não tem prazo. A obra faz parte da revitalização do Largo da Batata e estava prevista para dezembro. Mas o canteiro de obras, ao lado da estação de Metrô, na Rua Capri, está vazio. A SP Obras informou que a retomada do projeto deve ocorrer no segundo semestre. A conclusão levará mais de um ano.

Na prática, além de pagarem duas tarifas, passageiros do Metrô que tiverem de usar trem terão de andar 600 metros entre as duas estações. As calçadas, principalmente da Rua Capri, estão esburacadas ou não existem. Quem precisar de ônibus terá de caminhar até vias já próximas da Estação Faria Lima do Metrô.

 

 

Sem banheiros. A nova estação também não tem banheiros públicos, como prevê resolução da Secretaria dos Transportes Metropolitanos de maio de 2010. A ViaQuatro informou que passageiros poderão usar os dos funcionários, após pedir para um agente da estação.

Para Sérgio Andreucci, da Associação de Moradores e Empresários de Pinheiros, a entrega poderia ser adiada até banheiros e integração estarem prontos. Wireless e celular não têm prazo.

 

Veja também:

linkGrupo protesta em frente à estação contra PPP e acidente de 2007

especialInfográfico: Relembre como foi a maior tragédia do Metrô

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.