Estação falha e SP fica sem medição oficial de umidade

O Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Paulo abandonou desde anteontem as medições de umidade da estação meteorológica adotada como padrão na cidade. Técnicos do órgão foram alertados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) que a estação automática do Mirante de Santana, na zona norte, não estava "confiável".

Paulo Saldaña, O Estado de S.Paulo

15 de setembro de 2010 | 00h00

Já na segunda-feira, o CGE passou a divulgar valores de umidade registrados em outras estações. Com a mudança, fica impossível a comparação histórica e possíveis novos recordes. Ontem, a mais baixa umidade divulgada pelo CGE, registrada no aeroporto do Campo de Marte, também na zona norte, foi de 21%. Na automática do Mirante de Santana, esse valor ficou em 19% - o que já definiria estado de alerta. Anteontem, o CGE apurou umidade de 15%, enquanto a automática do Inmet dava 12%, no limite da emergência.

"Fomos avisados de que a estação estava com certa discrepância no índice. Por isso paramos de usar", disse Michael Pantera, do CGE. O centro tem nove estações, além de monitorar as medições dos aeroportos.

Questionado pela reportagem, o Inmet negou que houvesse falhas. A manutenção das estações cabe a uma gerência que fica em Brasília, cujos responsáveis não foram encontrados - estariam em um congresso no Pará. Pelo mesmo motivo, o Inmet também não informou quando o equipamento passou por manutenção pela última vez.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.