'Essa diferença não existe'

Como o senhor vê a posição do Irã neste comunicado?

Entrevista com

O Estado de S.Paulo

20 Abril 2012 | 03h02

A maior parte da nota é sobre um "tratamento abusivo" por parte da imprensa. Além da diferença cultural, acho que eles querem dizer que o caso não é tão grande quanto se quer fazer crer e que haveria uma tendência ao sensacionalismo quando se trata do Irã. Até concordaria parcialmente, uma vez que informações negativas contra o Irã tendem a ter destaque. Mas só poderia concordar com isso se tivesse acesso às informações que pais, polícia e o ministério têm. Dentro do que sabemos, há uma janela muito pequena para que você diga que talvez houve uma diferença cultural para ele achar que estava fazendo algo normal e que as meninas acharam que estava fazendo alguma coisa imprópria.

Esse comportamento seria aceito no Irã?

Essa diferença não existe. Ao contrário. Essas meninas já estão, ou estão muito próximas, da puberdade. E qualquer contato físico entre elas e um homem não seria autorizado. Me parece difícil alegar diferença cultural. Só se realmente não aconteceu esse fato e ele realmente estava brincando na piscina.

Então, se houve o ato como as meninas descreveram, não há diferença cultural?

Não.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.