''Essa cultura de shopping é muito chata''

Seba Orth, empresário e decorador francês, vive em São Paulo há seis anos

Nataly Costa, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2011 | 00h00

Nascido no Sul da França, Sebastien Orth, o Seba, morou a maior parte dos seus 30 anos em Paris. Lá, conheceu a brasileira Karina Mota, com quem se casou - ela também o convenceu a abrir um negócio no Brasil. Os dois chegaram a São Paulo em 2005 e, um ano depois, inauguraram a multimarcas Surface To Air, decorada e idealizada por Seba.

Impressões iniciais. "Gostei de São Paulo logo de cara. Isso pela energia, pela pulsação que essa cidade tem. Sempre há algo fervendo em algum lugar por aí."

Bairros. "Sempre gostei muito dos Jardins, onde morei nos primeiros anos. Depois, conheci Higienópolis e decidi mudar para lá. O bairro é bom de andar, fica ao lado do centro, tem um comércio popular sensacional nas regiões de Santa Cecília e da Avenida São João. Adoro comprar matéria-prima para decoração nesses lugares. Madeira, palha, pedrarias, encontro de tudo."

Centros comerciais. "Gosto de lojas de rua, de ir ao Brás, à Santa Ifigênia. Essa cultura de shopping aqui em São Paulo é muito chata, as pessoas não andam na rua, fica o comércio todo concentrado em um mesmo lugar. Não é nada charmoso. É bem mais legal ir às cidades da Europa ou a Buenos Aires, onde você pode ir caminhando para um restaurante."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.