Esquartejadora vai ficar em Tremembé

O juiz Adilson Paukoski Simoni, da 5.ª Vara do Júri da Capital, negou ontem pedido de transferência de Elize Matsunaga, que confessou ter matado e esquartejado o marido, Marcos Kitano Matsunaga, no apartamento onde os dois moravam, na zona oeste de São Paulo. A acusada, que está presa no Presídio Feminino de Tremembé, no Vale do Paraíba, queria voltar ao Presídio de Itapevi, onde ficou logo após o crime.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.