JOSE PATRICIO/ESTADÃO
JOSE PATRICIO/ESTADÃO

Espontaneidade e tradição serão valorizadas por jurados no carnaval de SP

Novo regulamento da Liga das Escolas de Samba de São Paulo será mais rígido com bateria e casal de mestre-sala e porta-bandeira

Paula Felix, O Estado de S. Paulo

11 Fevereiro 2015 | 18h21

SÃO PAULO - O júri dos desfiles das escolas de samba de São Paulo deve valorizar a espontaneidade, a alegria e a tradição do carnaval neste ano. Segundo o novo regulamento elaborado pela Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, apresentado na tarde desta quarta-feira (11), os integrantes das escolas poderão ficar mais soltos durante o desfile, sem perder pontos nos quesitos harmonia e evolução, que avaliam o canto e o entrosamento entre a dança e o ritmo, respectivamente.

"Pelos nossos estudos, são os quesitos que mais influenciam no julgamento. A evolução conta uns 25% ou 26% e a harmonia vai mais 13%. Juntando, dá quase 40% no quesito julgamento. Para que o carnaval fique mais solto, mais balançado, tentamos colocar algumas coisas de espontaneidade do componente, porque mesmo não tendo o samba no pé, ele tem aquele momento de alegria", explica o presidente da Liga Paulo Sérgio Ferreira, o Serginho.

No quesito bateria, a novidade é no critério equalização, que avalia o volume dos conjuntos de instrumentos. Antes, todos tinham de ser ouvidos. Agora, apenas os instrumentos considerados básicos precisam ficar claros para os jurados: surdos, caixas, repiques, tamborins e chocalhos. "Algumas baterias não estavam vindo com todos esses instrumentos."

Também tradicionais nos desfiles, os casais de mestre-sala e porta-bandeira terão de realizar movimentos obrigatórios. "Eles não poderão sambar, mas terão de fazer o bailado. Casais estavam fugindo da característica da nossa cultura do carnaval", diz Serginho. Outro ponto analisado com mais rigor será o samba-enredo. "Fizemos algumas mudanças para que valorizassem as letras e viessem poesias para retornarmos aos grandes sambas antigos."

Manual. Para que o público entenda melhor o julgamento dos nove quesitos (harmonia, samba-enredo, bateria, enredo, fantasia, alegoria, mestre-sala e porta-bandeira, comissão de frente e evolução), a Liga simplificou o manual dos jurados e vai publicar a nova versão em seu site. "Fizemos um manual para que qualquer pessoa tenha acesso com mais clareza e objetividade, porque o público estava disperso, sem saber como a escola é julgada."

Assim como no ano passado, há 54 jurados e 36 serão sorteados nesta sexta para fazer a avaliação dos desfiles. As agremiações recebem quatro notas e a menor é excluída. As escolas do Grupo Especial vão desfilar nesta sexta e no sábado. Os critérios de desempate serão sorteados na próxima segunda-feira. "Estamos com a expectativa de ter um carnaval mais profissional e de proporcionar um espetáculo para o público."

Mais conteúdo sobre:
Carnaval Escolas de samba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.