Espera de agendamento para passaporte chega a 30 dias

Trinta dias é hoje o tempo médio de espera para o agendamento de horário nos postos de emissão de passaporte da capital paulista. Em fevereiro, a troca da empresa responsável pelo serviço forçou a Superintendência da Polícia Federal em São Paulo a reduzir a capacidade de atendimento em mais de 30% por dia. A expectativa da PF é que, a partir da próxima semana, o tempo de agendamento caia para 25 dias.

Bruno Tavares, O Estado de S.Paulo

09 de julho de 2010 | 00h00

Quem tem viagem marcada para os próximos dias e ainda não deu entrada no pedido de passaporte deve procurar a sede da PF em São Paulo, no bairro da Lapa, na zona oeste, levando a documentação exigida (documento de identidade, título de eleitor com o comprovante da última eleição, carteira de reservista e a guia de pagamento da taxa de R$ 156,07), além de um comprovante de compra da passagem. A PF informa que, nesses casos, consegue emitir o passaporte de um dia para o outro.

As unidades do interior do Estado também passaram por dificuldades nos últimos meses, mas como a procura é muito inferior à da capital, os reflexos foram menos sentidos.

A PF espera conseguir reduzir ainda mais o tempo de espera nas próximas semanas, uma vez que o movimento em julho costuma ser menor do que em outras épocas do ano, justamente por ser de um mês de férias.

Recorde. Com sua capacidade plena de atendimento, a Polícia Federal conseguia atender 1.500 pessoas por dia nos oito postos de emissão de passaportes da capital. No período mais crítico, esse número caiu para cerca de mil.

A substituição das prestadoras do serviço estava programada para ocorrer em janeiro, época de baixa procura. Mas o que se viu foi um aumento recorde da demanda - foram contabilizados 7.365 pedidos no período.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.