Espanhola é presa com 7 kg de cocaína no Aeroporto de Viracopos

Policiais desconfiaram, primeiramente, de outra pessoa; cão farejador ajudou na ação

Solange Spigliatti, estadão.com.br

21 de setembro de 2011 | 10h52

SÃO PAULO - A espanhola M. M. A. R., 37 anos, foi presa no Aeroporto Internacional de Viracopos, em Campinas, no interior de São Paulo, quanto tentava embarcar para Madri, na Espanha, na terça-feira. A droga, com peso bruto de 6,75 Kg, estava oculta em hastes metálicas em fundo falso das malas da passageira.

 

A equipe de policiais federais presente no Aeroporto teve sua atenção inicialmente despertada sobre um passageiro que preenchia características específicas de possível transportador de drogas em voo internacional. Realizada entrevista com o mesmo e procedida à sua revista pessoal e de sua bagagem, nada foi encontrado.

Por conta disso, a equipe supôs que o suspeito estivesse presente no voo para distrair a atenção dos policiais no procedimento de fiscalização. Os policiais resolveram verificar os demais passageiros que já haviam passado pelo controle de emigração e que estavam na sala de embarque, prestes a entrar na aeronave.

Após inspeção e análise, abordaram uma passageira que foi submetida a entrevista e, em razão das respostas contraditórias que forneceu, teve sua bagagem retirada do avião para verificação.

 

A cadela farejadora da Polícia Federal deu sinais de estar na presença de entorpecentes. Aberta a mala na presença da passageira, foi encontrada uma segunda mala dentro da primeira, sendo que em ambas havia um fundo falso em que estavam ocultas haste metálicas contendo cocaína.

 

A presa disse que a mala com a droga foi entregue pelo motorista de um táxi que a conduziu ao Aeroporto de Viracopos. Ela foi encaminhada para Cadeia Pública de Paulínia.

Tudo o que sabemos sobre:
drogasaeroportotrafico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.