Espanha e Brasil vão rever veto a turista

Solução deve ser discutida pelos 2 países no dia 4; 'é um compromisso e não promessa', assegurou o chanceler espanhol, em visita ao País

IURI DANTAS / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

17 de maio de 2012 | 07h44

Em viagem ao País, o chanceler espanhol Jose Manuel García-Margallo se comprometeu ontem a resolver "de forma imediata" o problema de turistas brasileiros barrados na entrada na Espanha e de espanhóis que estão enfrentando a mesma situação ao chegar ao Brasil. Uma solução deve ser discutida pelos dois países no dia 4, em reunião em Madri.

Depois de um encontro com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, o chanceler espanhol disse que a solução do impasse é "um compromisso e não uma promessa". A reunião do dia deve reunir representantes consulares dos dois países.

Desde 2008, autoridades brasileiras alegam buscar uma forma de reduzir o veto à entrada de brasileiros, sobretudo no Aeroporto de Barajas. Apesar de o número de barrados cair ano a ano desde 2007, o país ainda é o que mais veta a entrada de brasileiros na Europa - foram 1.402 só no ano passado.

Em contrapartida, há 45 dias o Brasil passou a usar o princípio internacional da reciprocidade para barrar espanhóis que chegam ao País. Depois disso, passou a vetar praticamente a entrada de um viajante do país europeu por dia. Os barrados nos primeiros quatro meses do ano equivalem a 70% do número de turistas detidos nos aeroportos em todo o ano de 2011. Só no mês de abril, o número de espanhóis parados chegou a 31. Até agora, 83 pessoas tiveram a entrada no Brasil vetada pela Polícia Federal (PF). Em todo o ano passado, os barrados chegaram a 120.

O País passou a requerer dos espanhóis, por exemplo, passaporte com no mínimo seis meses de validade, passagem de ida e volta - e data de regresso confirmada -, e comprovante de que se pode bancar gastos de no mínimo R$ 170 por dia. O turista deve ainda apresentar comprovação de reserva em hotel já paga ou confirmada. Para hospedagem particular, tem de mostrar carta-convite de quem o hospedará.

Respeito. Na reunião entre os dois ministros, realizada ontem, Patriota cobrou "tratamento correto e respeitoso" dos espanhóis em relação aos brasileiros que tentam ingressar naquele país europeu. "Reconhecemos a realidade, mas brasileiros que viajam para outros países não encontram as dificuldades que acham na Espanha, então, queremos simplesmente que o mesmo tratamento se aplique, que é o correto e respeitoso", disse.

Margallo ressaltou que foram dadas instruções para as autoridades consulares resolverem a situação "com brevidade". Ele ainda destacou que a Espanha quer renovar a aliança estratégia assinada com o Brasil em 2003.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.