Espancado, menino de um ano morre e padrasto é preso em SP

Criança foi agredida em hotel de Ribeirão Preto; Edilson Roberto Nogueira teria tentado impedir mãe de vê-la

Brás Henrique, O Estado de S.Paulo

03 Novembro 2009 | 13h31

Gustavo Rafael Rodrigues Paulino Ferreira, de um ano e quatro meses, morreu no início da na madrugada desta terça-feira, 3, na região central de Ribeirão Preto, após ser espancado. O padrasto, Edilson Roberto Nogueira, de 23 anos, foi preso em flagrante. Ele é o único suspeito do crime e responderá inquérito por homicídio qualificado. O crime ocorreu numa pensão, onde o menino morava havia um ano com a mãe Vanessa Aparecida Rodrigues, de 21 anos, e o padrasto. Apesar do socorro da mãe, o menino não resistiu aos ferimentos.

 

O caso foi encaminhado à Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), que irá apurar mais detalhes do crime e ouvir testemunhas. A mãe chegou do trabalho, no final da noite do feriado de segunda-feira, e o padrasto teria tentado evitar que ela entrasse no quarto. O menino apresentava hematomas pelo corpo e no rosto e os dentes quebrados, e estava quase desmaiado sobre a cama.

 

Nogueira argumentou que o menino teria caído da cama. Vanessa levou o filho, no colo, ao Pronto-Socorro Central, a menos de 500 metros da pensão. Lá, ela foi orientada a acionar a polícia, pois o caso era de espancamento contra a criança. Devido à gravidade dos ferimentos, o menino foi imediatamente transferido à Unidade de Emergência (UE), do Hospital das Clínicas, onde faleceu.

 

A Polícia Militar foi acionada e deteve Nogueira pouco depois, em flagrante, ainda na pensão, bebendo com amigos. Moradores da pensão teriam observado que a criança já fora agredida outras vezes e isso será investigado pela Polícia Civil nos próximos dias.

 

A delegada Maria Beatriz Moura Campos, da DDM, diz que um laudo preliminar do Instituto Médico-Legal (IML) deverá estar em suas mãos para ajudar nas investigações. Nogueira está preso no Centro de Detenção Provisória (CDP), de Ribeirão Preto.

 

(Texto atualizado às 15h10)

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.