Escritório de bicheiro é estourado pela polícia

A Polícia Civil do Rio estourou ontem em São Gonçalo o escritório de contabilidade do bicheiro Luis Anderson de Azeredo Coutinho, o Anderson Bicheiro. Ele é suspeito de ser o mandante da execução, com 21 tiros, da juíza Patrícia Acioli, no dia 11. Ele teria ameaçado a magistrada de morte há dois anos. Patrícia havia decretado prisão preventiva de Coutinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.