Escrevente da Justiça é morta após reagir a assalto em SP

Edna teria se assustado, ligado o carro e acelerado; ladrões atiraram várias vezes contra o veículo

Andressa Zanandrea, do Jornal da Tarde,

18 de setembro de 2007 | 08h49

Uma escrevente da Corregedoria Geral da Justiça do Estado de São Paulo foi morta após reagir a uma tentativa de assalto, na Vila Nhocuné, na zona leste de São Paulo. O crime ocorreu por volta das 19h45 de segunda-feira, 17, quando Edna Lucy Toyama conversava com o motoboy Reinaldo de Souza Santos, na Rua Edgar de Souza.  Edna estava dentro de um carro e conversava com Santos, que estava do lado de fora, ao lado do veículo. Três homens se aproximaram deles e anunciaram o assalto. Dois dos bandidos teriam começado a revistar o motoboy, para ver se ele estava armado. A escrevente teria se assustado, ligado o motor do carro e acelerado. Os criminosos dispararam várias vezes contra o veículo e fugiram a pé. Edna foi levada ao Pronto Socorro de Vila Nhocuné, onde chegou morta.

Tudo o que sabemos sobre:
reação a assalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.