Escolha é feita de acordo com demanda por vagas, diz governo

O secretário de Administração Penitenciária, Lourival Gomes, afirma que o governo estadual escolhe os locais das novas unidades conforme a demanda por vagas de cada região. "Não se trata de espalhar presídios pelo interior, mas de abrir vagas onde há necessidade."

O Estado de S.Paulo

20 Novembro 2011 | 03h01

Das 49 unidades previstas, só faltam 12 cidades para serem definidas. Encontram-se em licitação obras para Riolândia, Icém e Piracicaba. E devem sair do papel penitenciárias masculinas em Mairinque, Itatinga, Aguaí, Santa Cruz da Conceição e Álvaro de Carvalho. Novas penitenciárias femininas ficarão em São Vicente e Bom Jesus dos Perdões.

Há ainda previsão de Centros de Detenção Provisória em Santos e Araçariguama. O coordenador do Núcleo do Sistema Carcerário da Defensoria Pública, Patrick Cacicedo, diz que a maioria dos detentos tem de se deslocar por longas distâncias. "É uma punição para o preso e para a família."/ B.P.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.