Escola pública ensina Robótica de ponta em PE

Na Escola de Referência Silva Jardim, no Recife, a única pública a desenvolver um microssatélite feito pelos alunos e tentar lançá-lo ao espaço, os estudantes frequentam aulas extracurriculares de robótica todos os dias, de segunda a sábado, desde 2008. Só são convidados a cursar a disciplina aqueles que vão bem nas aulas.

O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2013 | 02h06

Eles utilizam financiamento coletivo para desenvolver o satélite. Poderiam até alugar um satélite da NanoSatisfi, mas, como não possuem a verba necessária, estão desenvolvendo alternativas para projetar um semelhante ao lançado pela empresa.

As aulas constantes de Robótica na escola já estão rendendo frutos: os alunos têm participado de competições científicas em todo o Brasil e conseguido boas colocações. Neste ano, ganharam o 1.º lugar no Prêmio Ciência Jovem, de Pernambuco, com o projeto de um exoesqueleto robótico para membros inferiores que pretende ajudar pessoas paraplégicas de baixo poder aquisitivo.

O professor José Alberto Sales Filho, responsável pelas aulas de Robótica, e os alunos fizeram uma "vaquinha" para comprar o motor do exoesqueleto, que veio da China. A ideia é deixar o projeto disponível para que um paraplégico possa dar o pontapé inicial do primeiro jogo da Copa do Mundo na Arena Pernambuco, no Recife.

Entre os alunos que fazem parte da equipe está Renata Alves de Souza, de 16 anos. Só pelo bom desempenho na escola e nas aulas de Robótica, ela ganhou uma bolsa de estudos de cinco meses nos EUA./ B.F.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.