'Escapou de morrer hoje', disse bandido a sargento do Exército

Um policial civil afirmou que uma das vítimas, um sargento do Exército de 44 anos, estava muito nervoso e se livrou da morte por pouco. Isso porque, durante o arrastão, um dos criminosos teria descoberto sua profissão e feito ameaças. "É militar?", questionou o ladrão. "Sou, mas do Exército", respondeu a vítima. "Então escapou de morrer hoje", rebateu, fazendo referência à Polícia Militar.

O Estado de S.Paulo

04 Abril 2012 | 03h03

A vítima foi revistada ainda no veículo e negou estar armada. A mentira foi descoberta e, irritados, os bandidos espancaram o homem até ele cair no chão.

Os ladrões não pouparam nem mesmo imóveis com proprietários idosos ou com pessoas doentes. Em um dos casos apresentados na delegacia, uma vítima de 26 anos contou que estava no apartamento quando o bando bateu na porta e depois entrou querendo dinheiro. No local, havia ainda um homem com problemas para respirar, que estava em recuperação no quarto. "Não era para entrar com gente doente!", disse um dos criminosos.

Nesse momento, outro bandido dava ordens expressas para o comparsa manusear de forma correta a pistola - para evitar que um tiro fosse disparado acidentalmente no edifício. "Trava a arma", gritava.

Enquanto isso, nos apartamentos de alto padrão, as ameaças continuavam por outra parte do bando, que usava armas para amedrontar as pessoas. "Cadê os euros, dólares e relógios de marca?", indagavam, aos gritos. /C.H.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.