Erro em obra do Metrô afeta Detran

Erro em obra do Metrô afeta Detran

Cabos de fibra ótica foram rompidos e serviços tiveram de ser suspensos no Estado

Renato Machado, Vitor Hugo Brandalise, O Estadao de S.Paulo

25 Março 2010 | 00h00

Os serviços de transferência e licenciamento de veículos estão suspensos desde segunda-feira em todo o Estado de São Paulo. A situação é consequência do rompimento de cabos de fibra ótica da Telefônica, atingidos durante os trabalhos de prolongamento da Linha 5-Lilás do Metrô, em Santo Amaro, zona sul da cidade.

O rompimento dos cabos também prejudicou o serviço telefônico na zona sul de São Paulo, afetando 3 mil clientes - que até o final da noite de ontem seguiam sem o serviço.

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran) calcula que 30 mil documentos de veículos de todo o Estado estejam parados por causa da interrupção do sistema. Os serviços relativos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH) não foram afetados, segundo o órgão de trânsito.

Retorno. A Telefônica informou que os serviços começarão a ser restabelecidos a partir das 17 horas de hoje - ainda assim, não há como precisar se o sistema do Detran estará entre os que voltarão a funcionar. Todos os serviços, segundo a empresa, serão retomados gradualmente até a próxima segunda-feira, com "prioridade" para reparos nos pontos que afetam órgãos públicos.

Enquanto os cabos estiverem rompidos, a comunicação entre os sistemas da Companhia de Processamento de Dados do Estado de São Paulo (Prodesp) e do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), em Brasília, fica impossibilitada, impedindo a transferência de dados e, consequentemente, o licenciamento e transferência de veículos. O Detran não informou quanto tempo levará para normalizar o atendimento após a retomada do serviço.

Cabos. O acidente aconteceu por volta das 17 horas de segunda-feira, no cruzamento da Avenida Adolfo Pinheiro com a Rua Isabel Schmidt. O Metrô informou que um banco subterrâneo de dutos da Telefônica foi atingido durante a colocação de estacas para o remanejamento de uma adutora. Seis dos 11 cabos de fibra ótica, posicionados cerca de 3 metros abaixo da superfície, foram danificados.

Por meio de nota, o Metrô afirma que a Telefônica informou de forma incorreta a localização dos cabos na região. "Houve uma diferença de 80 centímetros na profundidade do banco de dutos em relação ao cadastro informado previamente pela Telefônica", diz o texto. A companhia também informou que as obras da Linha 5-Lilás - que ligará o Capão Redondo, no extremo sul da capital, à Chácara Klabin, com término agora previsto para 2013 - não foram suspensas.

Para a Telefônica, porém, o serviço de sondagem do Metrô foi ineficiente na área. "As informações fornecidas ao Metrô indicam o local aproximado dos cabos, havendo a necessidade da realização de sondagens por parte dos responsáveis pela execução da obra para determinar o local exato dos dutos", rebateu, também por meio de nota, a empresa de telefonia.

Os reparos nos cabos só puderam ser iniciados às 17 horas de ontem - era necessário o escoramento das paredes da vala, antes que os técnicos da Telefônica pudessem descer e começar os reparos no cabeamento.

Desconto. A Telefônica informou, por meio de nota, que todos os clientes que tiveram o serviço de telefones interrompidos por conta do acidente serão ressarcidos com desconto na mensalidade dos dias em que o serviço não estiver funcionando.

A operadora calcula que, no total, serão cerca de R$ 20 mil em indenização para clientes fixos pela interrupção do serviço. A Telefônica afirma ainda que já começou a fazer um levantamento completo de todos os afetados pelo problema.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.