Eritreu que pediu asilo deixa Cumbica

O eritreu que desertou do serviço militar obrigatório de seu país, no nordeste da África, e passou cinco dias vivendo no Aeroporto de Cumbica, como o Estado noticiou ontem, pôde sair de lá ontem.

O Estado de S.Paulo

31 Outubro 2012 | 02h04

Eseyas Esfu Habtemar, de 20 anos, espera agora em um abrigo de imigrantes a análise de seu pedido de refúgio no País. Seu parente Meseret Habtegebriel, de 28, detido por lesão corporal, deverá seguir para o mesmo local.

Eles chegaram na quarta-feira com a irmã de Eseyas, que foi mandada de volta a Dubai. Eles seguiam à Colômbia e acabaram barrados em Cumbica. / EDISON VEIGA e RODRIGO BURGARELLI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.