Equatoriano passa mal e confessa transportar droga no estômago

Traficante desembarcou em Cumbica, Guarulhos, na terça-feira e seria levado para a casa de comparsas para expelir a droga

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

25 de agosto de 2011 | 04h05

SÃO PAULO - Ao passar mal e temer que uma das "cápsulas" de cocaína que carregava no estômago se rompesse, o equatoriano Pedro Antônio Chenche, de 35 anos, acabou confessando o crime, na última terça-feira, quando era atendido no Hospital Municipal de Urgência (HMU), no Jardim Bom Clima, em Guarulhos, na Grande São Paulo.

 

Na função de "mula", o equatoriano levava, na verdade, 33 preservativos com cocaína líquida dentro do estômago. Ele desembarcou no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Cumbica, Guarulhos, de onde foi conduzido por traficantes para uma casa onde iria expelir a droga, pesando cerca de 800 gramas.

 

Ao chegar ao local, o equatoriano expeliu 35 camisinhas, mas começou a passar mal e foi levado de táxi ao hospital, onde levantou suspeita em PMs que estavam no local. Os policiais então resolveram conversar com os médicos e depois com o paciente. Demonstrando muito nervosismo e com medo de que uma das cápsulas se rompesse, Pedro Antonio confessou.

 

Após ser submetido a um raio X, que constatou a presença da droga no estômago, o estrangeiro recebeu medicação, expeliu as cápsulas e foi encaminhado, na quarta-feira, ao 1º Distrito Policial de Guarulhos, no centro, onde acabou autuado em flagrante por tráfico internacional de drogas. Aos policiais, o traficante não revelou quanto iria receber pelo transporte da droga nem para quem o entorpecente seria entregue.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.