Envolvidos em motim na Fundação Casa terão tempo de visita reduzido

Corregedoria da instituição já identificou 48 jovens envolvidos no motim; três funcionários e oito meninos se feriram

Marília Lopes, Central de Notícias

07 de abril de 2011 | 14h51

SÃO PAULO - Os menores envolvidos na rebelião da Fundação Casa da Vila Maria, nesta quarta-feira, 6, serão punidos com a redução do horário de visitas, informou a assessoria da instituição. A Corregedoria da Fundação Casa já identificou 48 jovens envolvidos na rebelião, de um total de 56 internos, mas as investigações continuam. A visita de parentes não será cortada, pois é um direito dos menores, mas o tempo, atualmente cerca de 4 horas, será reduzido. A assessoria não informou qual será o novo horário.

 

Ontem, após quatro horas de negociação com a Polícia Militar e representantes da Corregedoria da Fundação Casa, 50 internos da Unidade de Vila Maria, na zona norte da capital paulista, encerraram a rebelião que durou das 16h às 20h. No motim, 12 pessoas foram mantidas reféns, entre professores, monitores e adolescentes que se recusaram a rebelar-se. Três funcionários e oito meninos se feriram.

 

Segundo os monitores da Vila Maria, uma tentativa de fuga sem sucesso teria despertado a ira dos adolescentes, que trancaram quatro professores de Arte em uma sala e ficaram com os outros reféns no pátio. Nesse local, atearam fogo em colchões e quebraram carteiras e cadeiras da sala de artes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.