Envenenamento mata 14 cachorros na periferia de Campinas

Ao todo, 30 cães foram envenenados; grupo de moradores quer retirada do canil da AAAC do bairro Gargantilha

da Redação, estadao.com.br

11 de julho de 2008 | 14h30

Cerca de 30 cães foram envenenados, provavelmente com veneno para ratos, e 14 morreram em um canil de Gargantilha, na periferia de Campinas, a 95 quilômetros de São Paulo, no fim da tarde de quarta-feira, 9. Segundo o site da EPTV, responsáveis pela Associação dos Amigos dos Animais de Campinas (AAAC), entidade que mantém o canil, explicaram que o veneno foi jogado pelo muro que faz divisa com a rua. Um funcionário do canil ouviu os latidos dos animais e foi verificar o que estava acontecendo, segundo o EPTV. Como o atendimentos aos cães envenenados foi rápido, a maior parte deles foram salvos, evitando que o número de mortes fosse maior. Um dos cães que morreram foi levado para necropsia e o resultado ainda não foi divulgado. Um boletim de ocorrência foi registrado no 4.º Distrito Policial da cidade. De acordo com o EPTV, o crime pode render prisão de três meses a um ano, além de multa.  Apesar de o canil da AAAC estar em uma chácara a 26 quilômetros do centro de Campinas, um grupo de moradores vizinhos quer a retirada dos animais do local. Segundo informações do EPTV, um terreno para construção do novo canil já foi comprado, mas não há data para mudança.

Tudo o que sabemos sobre:
CampinasAAACcanil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.