Entidades não querem PP de Maluf na Sehab

Movimentos sociais ligados à habitação divulgaram na segunda-feira uma carta aberta - depois transformada em petição - condenando a possibilidade de o PP de Paulo Maluf indicar os nomes que comandarão a Secretaria Municipal de Habitação e a Companhia Metropolitana de Habitação (Cohab) na gestão de Fernando Haddad.

ÉRICA TERUEL , ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

22 Novembro 2012 | 02h05

Na semana passada, o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro (PP), entregou ao prefeito eleito uma lista com nomes sugeridos para a pasta. Para o coordenador-geral da Frente de Luta por Moradia (FLM), Osmar Silva Borges, a indicação de um integrante do PP inviabilizaria a realização dos projetos apresentados pelo petista durante a campanha eleitoral. "Participamos da elaboração do programa de governo e tivemos grande satisfação nisso. Mas tememos que um secretário do PP entrave os projetos", ressaltou.

"(Haddad) Disse que ouviria os movimentos sociais e a hora é esta", afirmam as lideranças na carta. Em outro trecho, há críticas diretas às gestões pepistas de Paulo Maluf e Celso Pitta no Município: "A história do PP (...) é conhecida em São Paulo, com perseguição e criminalização dos movimentos sociais e populares, agressões aos trabalhadores informais e população em situação de rua, agenda de despejos e remoções, paralisação dos programas de mutirões e habitação popular".

Para Borges, o indicado para a Secretaria Municipal de Habitação deverá ter uma boa capacidade de dialogar com os movimentos sociais: "Não acreditamos que isso vá acontecer se alguém do PP for escolhido." Se o partido de Maluf conseguir a pasta, eles prometem cobrar Haddad. "Não vamos aceitar. O movimento é autônomo e vamos lutar", afirma Benedito Barbosa, da União Nacional dos Movimentos de Moradia.

Encontro. Ontem, aconteceu uma reunião com líderes dos movimentos e o coordenador do grupo de transição do governo, o vereador Antonio Donato (PT). Segundo Barbosa, Donato teria afirmado que há espaço para o diálogo. "Ele disse que o Haddad vai nos receber". A assessoria de Antonio Donato confirmou a realização da reunião, mas não as informações discutidas durante o encontro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.