Enterrado corpo de empresário morto após sequestro

Alecsandro Gomes havia sido levado algemado de dentro de concessionária em Congonhas por falsos policiais

CAMILA BRUNELLI, O Estado de S.Paulo

29 de novembro de 2012 | 02h03

Foi enterrado na manhã de ontem no Cemitério Congonhas, no Jardim Marajoara, na zona sul da capital, o corpo do empresário que foi encontrado morto e algemado na madrugada de anteontem em uma rua sem saída de Diadema, município do ABC paulista.

Alecsandro da Silva Gomes, de 38 anos, foi sequestrado na segunda-feira por três homens. Ele foi rendido dentro da concessionária de carros de luxo que tinha com a família na Avenida Washington Luís, perto do Aeroporto de Congonhas, na zona sul da capital. Câmeras de segurança flagraram o momento em que ele foi levado por três homens que teriam se passado por policiais - um deles usava um colete à prova de balas. Um computador foi roubado pelo trio.

Os sequestradores passaram 12 horas com a vítima, nas quais tentaram contato com a família sete vezes ameaçando matá-lo.

Orientado pela polícia, o irmão de Alecsandro tentou negociar, mas antes de chegarem a um acordo os sequestradores deram quatro tiros no empresário. Pelo telefone, o irmão chegou a ouvir os disparos.

Investigação. "Ainda não sabemos se ele foi sequestrado para ser executado ou se ele tentou fugir ou algo assim", explicou o delegado responsável pelo caso, Nelson Colenoi Filho, da Divisão de Homicídios de Diadema. Ele informou ainda que o médico legista concluiu que os tiros foram dados por pistola automática de calibre 380.

Colenoi pretende ouvir ainda hoje os moradores da Rua Corumbatá, no bairro Eldorado, onde o corpo do empresário foi encontrado com algemas e sem nenhum documento. Segundo ele, moradores ouviram o barulho dos disparos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.