Engenheiro parou túnel de R$ 2,7 bi na zona sul

Parece improvável que a mobilização de um grupo de moradores consiga barrar uma obra de mais de R$ 2,7 bilhões. Mas foi o que aconteceu com o túnel que ligaria a Avenida Jornalista Roberto Marinho à Rodovia dos Imigrantes, a obra mais cara e uma das prioridades da atual gestão de Gilberto Kassab (DEM).

, O Estado de S.Paulo

09 Janeiro 2011 | 00h00

Uma das figuras principais nesse processo foi o engenheiro José Orlando Ghedini, de 54 anos. Ele é morador do Jardim Aeroporto e pode ter a casa desapropriada pela Prefeitura para dar lugar aos canteiros de obras.

Para evitar perder o imóvel, Ghedini estudou toda a legislação que rege o licenciamento ambiental, leu a planta de três projetos diferentes de túneis para a área, conversou com vizinhos, participou de audiências públicas e reuniões com secretários municipais. No fim, conseguiu o adiamento da votação da obra no Conselho Municipal do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Cades), necessária para a emissão da licença ambiental.

"Sempre trabalhei com obras e, por isso, sei o que e onde procurar", explica.

Ghedini conta que o que o motivou a tentar barrar a obra foi a desvalorização dos imóveis da região e o alto custo da obra. "R$ 3 bilhões são cerca de 10% do orçamento municipal. É muito dinheiro público para ser gasto em um local só", diz.

Sua vizinhança também contou com a ajuda de moradores de outro bairro, a Vila Facchini, que também se mobilizaram contra o túnel.

Agora, para continuar com o projeto, a Prefeitura está preparando um novo projeto de lei para regularizar a obra.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.