Engenheiro implementou Lei de Acesso à Informação

O engenheiro civil e matemático carioca Mário Vinícius Spinelli, 41 anos, convidado pelo prefeito Fernando Haddad para chefiar a Controladoria do Município de São Paulo, ilustra um grupo de funcionários de carreira da administração federal que ganharam projeção na máquina pública com a falta de quadros do PT no comando de vitrines que não bastavam a militância e um currículo atrelado ao partido.

LEONENCIO NOSSA / BRASÍLIA , O Estado de S.Paulo

03 Janeiro 2013 | 02h01

Há 11 anos na Controladoria-Geral da União (CGU), Spinelli ganhou projeção no governo e na relação com o Planalto a partir da consolidação do Portal da Transparência, uma das atividades do órgão que comanda, a Secretaria de Prevenção da Corrupção e Informações Estratégicas. Embora seja um de quatro assessores que o ministro Jorge Hage sempre consulta, ele teve oportunidade de representar a pasta em programas de intensa articulação com ministérios e órgãos do Planalto.

A sua equipe atuou na implantação da Lei de Acesso à Informação e do serviço Observatório de Despesas Públicas, uma unidade da CGU que atua como uma espécie de malha fina de operações. Técnicos vinculados a Spinelli desenvolvem sistemas para detectar irregularidades em áreas sensíveis como a da emissão de passagens e repasse de diárias.

Ele é um dos assessores ouvidos pelo governo para formular respostas provisórias e rápidas nos casos de escândalos e representa a controladoria no Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF), órgão que atua na análise de lavagem de dinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.