Engenheiro é condenado a 6 anos de prisão por divulgar pornografia infantil

Acusado foi identificado através da Operação Carrossel, da Polícia Federal, que desde 2008 monitora as transferências de arquivos de pedofilia em um programa de compartilhamento online

Pedro da Rocha, Central de Notícias

02 Fevereiro 2011 | 19h22

SÃO PAULO - Um engenheiro, de 53 anos, foi condenado a seis anos e oito meses de prisão, além do pagamento de multa, por fornecer, divulgar e publicar na internet imagens e vídeos de pedofilia. A sentença é do juiz substituto Luiz Renato Pacheco Chaves de Oliveira, da 4ª Vara Federal Criminal em São Paulo.

 

O acusado foi identificado através da Operação Carrossel, da Polícia Federal (PF), deflagrada em março de 2008. Os peritos criminais monitoraram as transferências dos arquivos de pedofilia, que eram disponibilizados pelo engenheiro na rede por meio de um programa de compartilhamento de imagens e vídeos chamado E-Mule.

 

Foram encontrados em sua residência cerca de quatrocentas mil imagens e cinco mil vídeos de conteúdo pornográfico infantil, que estavam armazenados em seu um computador, em discos rígidos e pen-drives. Ao todo, cerca de quarenta e três gigabytes de pornografia infantil foram compartilhados na internet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.