Energia é cortada em rua onde ocorreu explosão no ABC

Corte é para eviar riscos; Eletropaulo diz houve falta de luz em outros pontos para remanejar transmissão

24 de setembro de 2009 | 16h35

Parte das residências da Rua Américo Guazelli, em Santo André, onde ocorreu a explosão de uma fábrica de fogos de artifício, tiveram o fornecimento de energia elétrica interrompido desde 12h50 desta quinta-feira. A Eletropaulo informou que o serviço é uma medida de segurança, já que parte da rede de transmissão foi afetada pelo acidente.

 

Veja também:

mais imagens Galeria com fotos do acidente

mais imagens Foto mostra antes e depois da explosão

especialExplosão e tragédia - acidentes na última década

som Moradora de Santo André fala da explosão em loja

video Vídeo - Repórter fala da explosão em Santo André

especialTem relatos, fotos ou vídeos da tragédia? Mande para o Estadão no twitter

linkCães ajudam na busca por sobreviventes em Santo André

linkUm dos mortos era dono da fábrica que explodiu, diz prefeito

 

Não há previsão para o retorno da distribuição de energia elétrica. "Temos uma equipe no local que aguarda a autorização de liberação do serviço pelo Corpo de Bombeiros e a perícia, mas não sabemos quando isso irá acontecer", explicou a assessoria de imprensa da empresa.

 

Alguns moradores reclamaram a falta de energia por alguns minutos em outros pontos do bairro Silveiras, local da explosão. Em resposta, a Eletropaulo destaca que as interrupções foram necessárias temporariamente, apenas para a realização das manobras até a interrupção pontual no trecho da Rua Américo Guazelli.

 

Uma equipe técnica da Telefônica também está no local para apurar o funcionamento da rede telefônica. Conforme a empresa, os técnicos aguardam a liberação do local para iniciarem o trabalho necessário.

 

A fábrica clandestina de fogos de artifícios explodiu no começo da tarde desta quinta-feira, atingindo cerca de 12 casas, quatro delas ficaram destruídas totalmente, de acordo com informações da Polícia Militar. Os bombeiros foram acionados às 12h45 e 12 viaturas já trabalham no local.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.