Enem: elite pública supera rede privada

Alunos de escolas federais tiveram maiores notas entre os que fizeram prova em 2012; por áreas, Redação teve queda na média nacional

Lisandra Paraguassu / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

26 Novembro 2013 | 02h02

Os melhores estudantes das escolas públicas do País tiveram resultados superiores aos da rede privada em três das cinco áreas avaliadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2012. A comparação, divulgada nessa segunda-feira, 25, pelo Ministério da Educação (MEC), inclui os alunos das escolas federais, que tiveram as maiores notas entre aqueles que fizeram a prova. A rede estadual, que concentra a maioria dos participantes, ficou com os piores resultados.

A média geral da Redação caiu de 568,75 para 560,03 pontos (de um total de mil), levando em consideração todos os participantes. A pior queda é na rede estadual, mas a média das privadas também caiu: de 612 para 602,16.

Entres as dez escolas que haviam ficado entre as mais bem posicionadas em 2011, e aparecem novamente na lista, a maioria também registrou nota inferior na Redação. Para especialistas, maior rigor na correção e tema difícil - sobre fluxo migratório - podem explicar os números. "O rebaixamento pode ser explicado por maior rigor na correção", avalia o professor Francisco Platão Savioli, da USP. Para ele, candidatos podem ter perdido pontos com argumentos que contrariam os direitos humanos. Até o campeão do ano passado, o Colégio Elite Vale do Aço, de Minas, caiu.

Algumas escolas que apareciam na relação com destaque em 2011 em todas as áreas, como o Objetivo Integrado, de São Paulo, e o Instituto Dom Barreto, de Teresina, não constam no site já aberto para consulta (portal.inep.gov.br). Segundo o MEC, as escolas não atingiram participação mínima. Entre as dez que aparecem em 2012, todas tiveram queda em Linguagens e Ciências da Natureza. Na rede particular, as médias foram inferiores a 2011 em Linguagens, Ciência da Natureza e Matemática e subiram em Ciências Humanas. Os dados completos por escola serão divulgados hoje pelo MEC.

Comparação. Com relação à elite da escola pública, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, explica que a comparação entre os candidatos foi feita usando os 215.530 melhores alunos da rede, mesmo número de estudantes das privadas. "Nossa preocupação são as cotas. Neste ano, 25% das vagas do Sisu (Sistema de Seleção Unificada das universidades federais) vão para alunos de escolas públicas. Esses 25% são melhores do que os das escolas privadas."

Os 215.530 alunos representam 31,5% dos estudantes das escolas cujas médias foram divulgadas - o MEC considera as unidades em que ao menos 50% dos concluintes fizeram prova. O grupo ainda precisa ser superior a 10 alunos. Apenas 11.239 escolas aparecem na lista, de um total de 25.744 instituições.

A elite da escola pública teve maiores notas em Linguagens (593,74), Ciências da Natureza (576,76) e Redação (616,6). Na comparação entre as redes, a federal teve o melhor resultado em todas as áreas, chegando a 625,24 em Matemática. Os piores resultados são da rede estadual. Ainda assim, as médias subiram em três das cinco áreas, na comparação com 2011. Caíram em Linguagens, de 527 pontos para 513, e Redação, de 507 para 491,41. / COLABORARAM PAULO SALDAÑA e VICTOR VIEIRA

Mais conteúdo sobre:
Enem escolas públicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.