Encontrado corpo de adolescente que sumiu em Santos

De acordo com familiares da vítima, ele ignorou aviso do guarda-vidas e tentou se aproximar a nado da plataforma do emissário submarino

Gheisa Lessa, de O Estado de S. Paulo,

05 de novembro de 2012 | 13h10

SÃO PAULO - Depois de dois dias de procura, os bombeiros encontraram, no início da tarde desta segunda-feira, 5, o corpo do jovem de 17 anos que estava desaparecido desde a noite de sábado, 3, na Praia José Menino, em Santos, litoral paulista. De acordo com depoimentos dos familiares do jovem, ele foi arrastado pela correnteza do mar ao tentar se aproximar da plataforma do emissário submarino. Equipes buscaram o rapaz por terra, mar e em helicóptero.

 

O corpo de Welington Barbosa foi encontrado no mar por uma equipe do Grupamento de Bombeiros Marítimo, por volta das 12h30 desta segunda, de acordo com o capitão da unidade, Fabio Rogério Betini. Welington era morador da zona norte da capital paulista e viajou para a Baixada Santista com os primos.

 

Em depoimento, a prima do jovem contou que Welington tentou, várias vezes durante o sábado, se aproximar das pedras do emissário. Um guarda-vidas teria alertado o adolescente sobre o perigo da região, mas ele ignorou o aviso.

 

"Ao anoitecer o menino tentou se aproximar das pedras de novo e, de acordo com a prima, ele foi sugado pela correnteza e submergiu", conta o capitão Betini. As autoridades foram acionadas ainda na noite de sábado e iniciaram as buscas no mesmo dia. A procura prosseguiu ao longo do domingo com equipes do grupamento por terra, água e ar - com um helicóptero Águia da Polícia Militar.

 

Nesta segunda, duas embarcações dos bombeiros voltaram a procurar pelo adolescente às 6h e encontraram o corpo por volta das 12h30. De acordo com Betini, o corpo do jovem ainda deve ser periciado para que seja comprovada a morte por afogamento, e levado a um Instituto Médico Legal (IML).

 

Recomendações. O Corpo de Bombeiros da Baixada Santista realizou, desde janeiro deste ano, mais de 1.800 salvamentos nas águas de todo o litoral paulista, afirma o capitão do Grupamento de Bombeiros Marítimo, Fabio Rogério Betini. Segundo ele, o número é maior durante as temporadas de férias escolares e feriados prolongados.

 

"É importante orientar os banhistas que sigam as ordens dos guarda-vidas e também as sinalizações nas praias", aconselha o capitão. "Essa área que o jovem foi tragado pela correnteza é uma região perigosa, com avisos permanentes. Temos pessoas orientadas a não permitirem o acesso ao local. Pedimos aos turistas que obedeçam as orientações a fim de evitar mais casos como este", ressalta Betini.

Tudo o que sabemos sobre:
afogamentosantoslitoralacidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.