Encaixotado, equipamento está no Jaguaré

Megatatuzão, utilizado para abrir o túnel da Linha 4 do Metrô de São Paulo

Eduardo Reina, O Estado de S.Paulo

01 de julho de 2010 | 00h00

Utilizado para abrir o túnel da Linha 4-Amarela do Metrô de São Paulo, o tatuzão está agora desmontado e encaixotado no canteiro central do Consórcio Via Amarela (CVA), empreiteira responsável pelas obras, no Jaguaré, zona oeste da capital.

O equipamento, de 1.800 toneladas e 75 metros de comprimento, iniciou os trabalhos na Estação Faria Lima, no dia 3 de março de 2007. O processo de escavação do túnel, que tem 10 metros de diâmetro, ocorreu a uma profundidade média de 30 metros.

Ao mesmo tempo em que perfurava o solo, a máquina instalava o revestimento de anéis pré-fabricados. Foi fabricada na Alemanha pela Herrenknecht AG, e comprada pelo consórcio em 2006, por US$ 30 milhões. O tatuzão escavou 7,5 quilômetros dos 12,8 quilômetros da Linha 4-Amarela, a uma velocidade média de 15 a 20 metros por dia.

A máquina foi desmontada em outubro de 2009 ao chegar num poço de serviço da linha localizado na Rua João Teodoro, centro. O CVA chegou a cogitar a venda do equipamento para outra empresa. Até agora, porém, nada foi feito. Há a possibilidade de ser reutilizado em outra obra de Metrô - a empresa não confirma a informação. Outra possibilidade seria a revenda de partes da máquina à companhia que a produziu, na Alemanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.