Empresas paralisadas detêm 62% da frota de ônibus

Viações controlam mais da metade dos coletivos que funcionam por meio do sistema de concessão da capital paulista

Caio do Valle, O Estado de S. Paulo

21 Maio 2014 | 13h00

SÃO PAULO - As cinco empresas de ônibus que tiveram as garagens bloqueadas por motoristas, cobradores e funcionários de manutenção nesta quarta-feira, 21, detêm 62% da frota concessionada da capital paulista.

Dados do sindicato patronal das operadoras de ônibus de São Paulo (SPUrbanuss) mostram que, dos 8.350 veículos operados pelas concessionárias em março, 5.226 pertencem às empresas paralisadas, ou seja, Santa Brígida (832 coletivos), Gato Preto (439), Sambaíba (1.285), Via Sul (808) e VIP (1.862).

Essas empresas operam nas zonas oeste, norte, sul e central. Em março, por dia, elas transportaram juntas 3.338.663 passageiros em média, de um total de 5.469.794 usuários.

Nem todos os ônibus dessas empresas deixaram de circular. Por volta das 9h45, a reportagem do Estado viu um coletivo da Gato Preto com passageiros na Barra Funda, na zona oeste.

Segundo Valdevan Noventa, presidente do sindicato dos motoristas e cobradores, cerca 30% dos trabalhadores estão paralisados.

Além dos concessionários, há outro sistema de ônibus da cidade, o que de permissão, gerido pelas cooperativas. Essa rede tem cerca de 6 mil veículos e não está paralisada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.