Empresas investem em rastreadores e cronômetro

Ao desembarcar, você recebe mensagem no celular com o status da bagagem: em que cidade está, se continua no bagageiro do avião, está a caminho ou atrasada. O sistema, desenvolvido pelas empresas de tecnologia Amadeus e Sita, está sendo finalizado e, segundo as companhias, será instalado neste semestre em 54 aeroportos no mundo - ainda não definidos.

O Estado de S.Paulo

01 Março 2012 | 03h05

A ideia é rastrear bagagens em tempo real, atualizando o passageiro por SMS - desde que ele se cadastre para receber as informações no check-in.

O serviço vai se chamar Altéa Baggage Tracking e será gratuito. A disponibilidade dependerá do aeroporto e da empresa aérea, que se responsabiliza por eventuais extravios.

Segundo a Sita, 29 milhões de passageiros em 2010 tiveram malas atrasadas ou extraviadas, 4% mais que no ano anterior.

O Aeroporto do Galeão também quer lançar neste ano "cronômetro" para monitorar o tempo que a bagagem demora a ser devolvida. "A ideia é colocar em uma tela número do voo, hora de chegada e tempo que a bagagem demora desde o pouso", explica o superintendente do Galeão, Emmanoeth Vieira de Sá. Hoje a demora na restituição de bagagem é uma das grandes reclamações. A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) já ensaiou até estipular meta para devolução - 12 minutos em voo doméstico e 18 em internacional. Mas o presidente da agência, Marcelo Pacheco dos Guaranys, diz que os números ainda são "estudo". Para acelerar a devolução, a Infraero pressiona empresas a pôr mais gente na operação de carrinhos e retirada de malas. / N.C.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.