Empresas afirmam que seguem a legislação do setor

A Submarino Viagens disse que não reembolsa tarifas promocionais, já que esta ação "está em linha com a legislação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)". Sobre a taxa de cancelamento, falou que é para "manter o seu quadro de serviço de agenciamento".

O Estado de S.Paulo

06 de fevereiro de 2012 | 03h05

Em relação ao longo tempo para reembolso, a Submarino explicou que a demora é culpa das empresas aéreas, "que exigem 30 dias para repassar o dinheiro, e também das operadoras de cartão de crédito, que estipulam 41 dias".

A Viajanet disse que as taxas referem-se ao serviço de atendimento ao cliente, "que precisa de apoio para remarcar ou cancelar a viagem, uma vez que ele não pode fazer através do site".

A Decolar.com disse que "os valores de cada caso de alteração são informados aos consumidores quando comunicam a intenção de alterar ou cancelar o voo, conforme definido pela companhia aérea".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.