GABRIELA BILO/ ESTADÃO
GABRIELA BILO/ ESTADÃO

Empresários devem reativar banheiros públicos do centro

Parceria com a Prefeitura começará por equipamento na Liberdade

Adriana Ferraz, O Estado de S. Paulo

25 Fevereiro 2015 | 03h00

A Prefeitura abriu chamamento público para selecionar propostas da iniciativa privada para a reativação do banheiro público da Liberdade, no centro. O espaço, que fica na Rua Galvão Bueno, tem 240 m² e está fechado há mais de três anos. A medida é uma iniciativa da Subprefeitura da Sé, que visa a reformar os equipamentos que existem no centro, além de construir novos. A gestão Fernando Haddad (PT) ainda estuda levar a ideia a outros bairros, como a Vila Madalena.

Com 450 mil moradores, os bairros da regional da Sé têm hoje apenas seis banheiros públicos. O único já reformado é o da Praça Roosevelt. A Prefeitura está em busca de parceiros para os demais: Praça da República, Vale do Anhangabaú, Praça Dom Orione e Praça Fernando Costa, além da Rua Galvão Bueno, que já recebeu proposta de reforma apresentada por um empresário. 

O projeto prevê, além do banheiro, a instalação de um comércio e de uma área verde. De acordo com Nelson Eiji Takeda, autor da proposta, os três ambientes receberiam limpeza diária e ficariam abertos das 7 às 21 horas. “Preciso obter recursos para a limpeza. Foi aí que pensei em abrir um café ou uma frutaria para arrecadar a verba”, diz Takeda. 

O subprefeito da Sé, Alcides Amazonas, afirma que a intenção é reabrir todos os espaços existentes a partir de convênios com a iniciativa privada. “Uma região central como a nossa, onde circulam 3 milhões de pessoas por dia, não pode conviver com meia dúzia de banheiros fechados. E temos o plano de construir outros num espaço curto de tempo.” / COLABOROU DIEGO ZANCHETTA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.