Empresário vendeu imóvel a auditor, diz advogado

Defesa de Marco Aurélio Garcia afirma que ele nunca foi sócio nem amigo de acusado de chefiar esquema

Artur Rodrigues, Bruno Ribeiro, Diego Zanchetta e Fabio Leite, O Estado de S.Paulo

15 Novembro 2013 | 02h03

O advogado do empresário Marco Aurélio Garcia, Rogério Cury, negou que seu cliente tenha recebido dinheiro de Ronilson Rodrigues e disse que a citação da testemunha do Ministério Público Estadual (MPE) trata da venda de um imóvel feita de forma legal por ele ao auditor fiscal acusado.

"Não existe empréstimo algum do Ronilson para o Marco Aurélio. Ele já se colocou à disposição do Ministério Público para prestar esclarecimentos e encaminhou todos os documentos", disse Cury.

"Não há nenhum apontamento de fraude praticada e relatada por essa testemunha. O que houve foi um negócio jurídico do Marco Aurélio com o Ronilson. O apartamento negociado era propriedade dele, teve contrato registrado em cartório e foi declarado por ele no Imposto de Renda", disse.

Segundo ele, Garcia não é amigo de Rodrigues e nunca foi sócio do auditor fiscal em nenhum negócio. "O Marco Aurélio não tem amizade com o Ronilson, nunca frequentou a casa dele", afirmou.

Cury disse também que o empréstimo da sala comercial no centro de São Paulo ao ex-subsecretário da Receita ocorreu a pedido de Rodrigues, mas que o fato não revela nenhuma relação de seu cliente com a quadrilha de fiscais.

"Essa sala não era emprestada exclusivamente ao Ronilson. Estava em nome do Marco Aurélio porque o amigo dele que alugou o imóvel estava com o nome negativado", disse Cury.

"Outras três empresas usavam outras salas do mesmo imóvel: uma faculdade do interior de São Paulo, um empresário de Mato Grosso amigo dele e outra sala era de um arquivo morto de outra empresa", completou o advogado.

A reportagem do Estado procurou, na noite de ontem, o procurador Silvio Dias, pelo telefone celular e no seu escritório de advocacia, mas ele não foi localizado. Também deixou recado com uma advogada do escritório dele, mas não obteve resposta até o fim da noite de ontem.

O ex-secretário municipal Walter Aluísio Morais Rodrigues também não foi localizado na noite de ontem. A reportagem deixou recado com a filha do ex-secretário, pelo telefone residencial, mas não obteve resposta.

A assessoria de imprensa de Gilberto Kassab (PSD) informou que o ex-prefeito não foi localizado na noite de ontem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.